TRIPULANTES DESTA MESMA NAVE

quinta-feira, 25 de abril de 2013





CONFESSO QUE VIVO!

foto de Evandro Peixoto: apresentação artística ,no cine tatro-sesc no dia 23 de abril de 2013, em comemoração aos 60 anos de vida  de Luiz Carlos Salatiel que sempre escolheu a arte como forma de se espressar no mundo.

      Pense que sorte a minha: nascer numa manhã chuvosa de 23 de abril de 1953, dia dedicado ao Santo guerreiro, São Jorge - OGUN – de parto normal, em casa, assistido por sinhá Joaninha!- filho homem esperado e festejado por todos da família e desde que me percebo como gente,  sou mimado. O fui por minha mãe - querida mãe Emília, a Mariosa do meu pai Carlos, o Carlindo dela - e por todos os meus onze irmãos e especialmente por minhas oito irmãs.
     
     Agora – mais sex (agenário) que nunca! – me sinto belo, atraente, tão irresistível como quando ainda criança desfilava pelas ruas do Araripe nos braços negros da minha babá Adalva! Minha mãe sempre me falava dessa minha beleza em criança e eu nunca deixei que ela se perdesse porque a guardo dentro de mim: a beleza e a jovialidade que devem se eternizar tal como em Dorian Gray, de Oscar Wilde!
     
     Geneticamente, do meu pai herdei as minhas mãos pequenas , o gosto pelo canto dramático(de Vicente Celestino e Gardel)e a prodigalidade. De minha mãe herdei os pés (joanetes), um sentimento de jovialidade internalizado e gosto pela arte (especialmente o teatro) porque foi sob a direção dela é que vi com os meus olhinhos de  03 anos os ensaios do meu primeiro espetáculo: O meu chapeu tem três bicos! Os ensaios eram no hoje Salão da Memória do Casarão do Araripe.

    Subi ao palco pela primeira vez aos sete para representar um dos porquinhos numa cena do lobo mau que queria derrubar a casa de palha dos três irmãos – no Grupo Escolar Pe. Cícero, em Juazeiro do Norte – daí pra frente , vieram os espetáculos de teatro e música no Grupo Desafio, crooner da banda The Hunthers que animava tertúlias no cariri, Festivais da Canção, shows, incursões no cinema, e nesse ambiente artístico é que cultivei sólidas amizades que até hoje perduram.

    A vida para mim sempre foi e será um grande espetáculo onde sou o protagonista! Um espetáculo com textos que vão se construindo ao longo dos anos que vivo, com cenas românticas, dilemas, poesia, tragédia, alegria e choro, mas que pretende um final feliz.

    Um pequeno detalhe sobre minha mãe (de novo!) e sua sabedoria. Já aos oitenta anos, me disse:
 – Luiz eu só me percebo (ou me sinto) velha quando me olho no espelho!
Então, um bom conselho: quebrai todos os espelhos!

    Mas sei que somos feitos de nossas escolhas! E como fui privilegiado! Foram tantas as opções que me apareceram pela frente que até –quando erro- me aparecem outras oportunidades para ... errar de novo!  Mas, afinal de contas, quem é que detém todas as componentes para planejar a vida de um jeito tal que dê tudo certo? Que coisa mais chata seria ela sem a imprevisibilidade e a impermanência!  

    Hoje, aos 60 anos sei também que começa o primeiro estágio para me tornar um dos X-Man – um homem invisível! Aos sessenta começamos a nos tornar “invisíveis” porque nada que dissermos vai ser considerado a não ser que gere uma prova contra nós mesmos!

    Socorro, minha Irma-mãe, como psicóloga, não perde uma chance de dizer da minha capacidade enorme de me reinventar e tenho me convencido disso e percebido que esta é a forma de como pássaro -ícaro que sou, novas penas preciso para alçar voos infinitos na busca da luz do sol. Quando percebo que “me falta espaço/ aos passos  que dou /me faço pássaro/ e em pleno vôo/ vôo mais alto que o homem que sou” .

   Hoje, as minhas assas estão mais e sempre brilhosas e vigorosas pelos cuidados da minha querida e amada Carminha! De vez enquanto ela arranca uma peninha das minhas asas, mas tenho sempre comigo um tubinho de super-bond para colá-las de volta.

   Eu agradeço a todos – familiares e amigos -que estiveram neste especial momento de comemoração do meu aniversário. Marchemos juntos para os 70 anos!
Um abraço carinhoso e fraterno no coração de todos.

Luiz Carlos Salatiel 

 

4 comentários:

Domingos Barroso disse...

forte abraço, meu irmão.
carpe diem!

Seeb Cariri disse...

Companheiro Salatiel, um forte e solidário abraço e as mais exultantes congratulações pelo alcance deste grande marco de vida.

Diretoria do Sindicato dos Bancários do Cariri

Luisa Pfau disse...

Salatiel,

Simplesmente lindo, o que pensou, escreveu, confessou, aceitou.

Parabens para você!

Abraços...Luisa

Luisa Pfau disse...

Salatiel,

Simplesmente lindo, o que pensou, escreveu, confessou, aceitou.

Parabens para você!

Abraços...Luisa