TRIPULANTES DESTA MESMA NAVE

terça-feira, 8 de novembro de 2011

A universidade, a mídia e a PM

Engana-se quem afirma que os estudantes da USP estavam defendendo o uso da maconha. Discussão rasa. 
Discutiam a postura do reitor. Autoritarismo e política de privatização. Aí, entrou o rolo sobre os estudantes pegos fumando maconha... 

Um reitor que perdeu as eleições da USP e mesmo assim foi indicado pelo então governador José Serra, que só podia ser do PSDB, partido que costuma desrespeitar o resultado de votações para reitor. 

Aliás, antes, a antiga reitoria foi quem não quis uma estação do metrô lá dentro da USP!!! Aí, os estudantes tem que descer no Butantã e andar um pedação a pé... 


Se a ocupação da reitoria é correta ou não, aí é outra questão. A maioria dos estudantes decidiu que não era mais para ocupar. Os estudantes minoritários foram lá e ocuparam assim mesmo. Eles sabem a consequência do ato e vão ter que responder. 
E desocupar prédios invadidos é a especialidade maior da PM, não é verdade? 

Mas o pior personagem é a mídia empresarial brasileira. SBT, Globo, Record, Bandeirantes, qualquer desses canais, deturpam, vão pela informação rasa, rasteira e incentivam o autoritarismo. 

Como é rasa a imprensa e como é mais rasa ainda a circulação e o julgamento da classe média sobre as coisas.

A mídia é canalha ao apresentar a questão, age politicamente e não dá direito de resposta.

Como uma polícia pode ostentar em seu brasão, estrelas que homenageiam massacres ao povo brasileiro? 

Sim, no brasão da PM de São Paulo existem 18 estrelas. Vou usar alguns exemplos. 

A 1ª é em homenagem à criação da milícia bandeirante!!!

A 8ª é em homenagem à guerra de Canudos!!! A 9ª estrela é homenageando a repressão à Revolta da Chibata, de João Cândido!!!

A 10ª estrela é em homenagem em repressão às greves operárias do começo do século XX!!!

A 11ª é pela repressão aos Tenentes do Forte de Copacabana... 

A 18ª é em homenagem ao golpe militar de 1964!!! 

Que nojo, que corporação pode se orgulhar de reprimir o povo?

A fonte é a própria Polícia Militar de São Paulo. 

Deve sim existir polícia, que deve ter a função de garantir segurança, mas no Brasil temos nos estados duas polícias, uma civil e uma MILITAR. E no estado mais rico e "desenvolvido" do país temos uma polícia que se orgulha dos massacres ao povo brasileiro!!

3 comentários:

José do Vale Pinheiro Feitosa disse...

Darlan,

Uma das coisas que a sociedade burguesa nunca resolveu foi a democracia. Os poderes todos são repressivos com a finalidade de barrar o andamento da história. Acontece que isso nunca pára por que vivemos em sociedades urbanas, de massa, articulada organicamente em que a crise entre as partes é permanente. É permanente por um aspecto que não existe, por exemplo, no corpo humano: que é a hierarquia de privilégios. Nenhuma parte do nosso corpo tem privilégios, é uma interdependência completa, inclusive umas mais estratégicas e vitais do que outras. Já na sociedade burguesa de base econômica capitalista é hierarquizada e com um devir de privilégios. As forças policiais existem para manter a hierarquia e os privilégios. Mas tem o problema? O resto não aceita isso e vai em frente, em busca de uma sociedade mais democrática, humana e ponderada em termos da realidade mutante e dos recursos finitos. A PM de São Paulo não é muito diferente das demais, mas o governo de São Paulo e basta ouvir a pobreza do governador falando que os estudantes estavam depredando o patrimônio construído com sacrifício pelo povo, como se não tivéssemos visto a PM quebrando portões e arrombando portas. E no final a mídia estúpida ainda vem apresentar cinco garrafas de coquetel molotov e alguns rojões? Então: a PM defende os privilégios, o governador faz demagogia e a mídia o discurso da hierarquia e do privilégio.

Darlan Reis Jr. disse...

José do Vale,

Pior é o esteriótipo. Não estou julgando se é correto fumar maconha em qualquer lugar. É proibido por lei.
Mas a PM paulista vai lá na História dar a "dura". Por que não vai na Medicina, na Farmácia, nas Engenharias?

Hoje pela manhã, o jornal da Rede Globo manteve o tom agressivo, debochado e parcial sobre a mobilização dos estudantes, que mais uma vez, repito, é contra o autoritarismo do Reitor e sua política de intimidação, processos administrativos e privatizações.

Aliás, como fizeram com a URCA em 2003, quando o governo do PSDB (então no poder), desrespeitou a vontade da comunidade acadêmica, impôs um reitor derrotado nas urnas e entrou com a tropa de choque dentro da URCA. O resultado disso, a comunidade universitária da URCA conhece...

José de Arimatéa dos Santos disse...

Denunciar sempre essa mídia comprometida com o mais atrasado setor da vida nacional e o pior que criminaliza sempre os movimentos sociais.
Tem que prevalecer a maioria que é o povo.